Mil Vezes Boa Noite


Uma fotógrafa de guerra. Duas filhas e um marido em casa. E uma vida feita entre viagens, fotografias e cenários de horror. Estes são os ingredientes do mais recente filme protagonizado pela atriz francesa Juliette Binoche: Mil Vezes Boa Noite. Fui ontem ver a ante-estreia e o filme é realmente forte e intenso. Já tinha espreitado o trailer e apesar de ter ficado desde logo curiosa, as expectativas foram de longe superadas. Saí da sala de cinema com uma vontade ainda maior de abraçar a minha princesa e de aproveitar cada minuto, cada brincadeira e cada sorriso como se fosse o último.
A história começa num atentado suicida em Cabul no qual a personagem principal quase perde a vida e centra-se no seu regresso a casa para recuperar dos ferimentos e para tentar recuperar a sua família. Apesar de saber que fotografar é a sua vida, a sua paixão e algo mais forte do que a sua própria vontade, Rebecca tenta ser mãe e mulher, tenta encaixar num papel que não conhece e compensar as filhas e o marido pelas ausências de anos. No entanto, a tentação de tirar só mais uma foto que tenha o poder de fazer com que as pessoas «se engasguem com o café logo pela manhã» e que mostre realidades desconhecidas daqueles que vivem demasiado preocupados com o seu umbigo é mais forte do que ela. Uma história fascinante do início ao fim, uma vida dividida e uma procura incessante por respostas. Recomendo vivamente, mas óbvio que não conto o final...

Share:

0 comentários