terça-feira, 7 de abril de 2015

Uma 'Última Ceia' inspirada na gastronomia japonesa

Pelo terceiro ano consecutivo, o Canal História desafiou três chefs portugueses a reinventarem e recriarem a ementa da Última Ceia de Jesus Cristo. Kiko Martins, Miguel de Castro e Silva e Pedro Almeida foram os protagonistas desta edição com a colaboração do gastrónomo Duarte Calvão.
No ano passado, aceitei a experiência e não me arrependi porque o menu concebido pelo chef executivo do Il Mercato João Alves estava simplesmente divinal. E este ano, as expetativas voltaram a ser superadas com um menu de inspiração claramente japonesa, mas com pequenos apontamentos que lembravam a Última Ceia como as ervas amargas, o pão e até o cálice em que foi servido o pudim de ovo fumado com enguia.


Nesta edição fui conhecer o Midori, no Hotel Penha Longa, e a fasquia era alta porque já tinha ouvido críticas muito positivas tanto à comida como ao serviço. O espaço é muito agradável e a vista para a Serra de Sintra dá vontade de jantar com calma e com tempo. Aqui não há espaço para refeições a correr e ainda bem que assim é. O serviço segue a mesma linha com simpatia, disponibilidade e profissionalismo. Os empregados são prestáveis sem serem chatos e nota-se que têm uma formação constante tanto no que respeita aos pratos, como aos vinhos.


Em relação à comida confecionada pelo chef Pedro Almeida acho que não consigo encontrar um ponto negativo... e sabe tão bem quando assim é. Pessoalmente, adorei o pudim de ovo fumado com enguia, o yakimono de pombo e miso - no qual destaco a perfeição da confeção do pombo que nem sempre é uma proteína fácil -, e o meu prato de eleição da noite: o Ochazuke de cogumelos e trufa. Esta espécie de sopa é constituída por um arroz em caldo de cogumelos com ovo cozinho a baixa temperatura e aroma a trufa que quando terminamos só dá vontade de comer mais três taças. A combinação de sabores é supreendente e a gema do ovo misturada no caldo dá-lhe um toque extra de sabor.

Entrada de salmão

Pão com ervas amargas

Pudim japonês quente de ovo fumado com enguia

Ochazuke de cogumelos e trufa

Este é sem dúvida o restaurante perfeito para os apreciadores de comida japonesa e de fusão e como tem diferentes áreas dá para jantares de negócios, de família ou para uma ocasião mais intimista com a sua cara metade. Eu aproveitei a ocasião para celebrar os meus três anos de casamento e acho que não podia ter sido mais especial. Obrigada Midori e obrigada Canal História!


4 comentários:

  1. fiquei cheia de água na boca só de ler. nhummm!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sinceramente adorei Lígia! Ainda não conhecia o Midori, mas já tinha ouvido falar tão bem que estava curiosa para confirmar essas críticas. O único senão é provavelmente o preço, mas felizmente já há iniciativas como a restaurant week com menus a €20 que dão para conhecer este género de espaços. A repetir, sem dúvida :)

      Eliminar
  2. Ai que saudades do Penha Longa e do Modori!! Foi lá que tive a melhor refeição japonesa de sempre (sushi e quentes e sobremesas). Simplesmente espectacular :)
    -
    Diogo Marques
    Blog: A culpa é das bolachas! | Facebook | Instagram
    -

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também adorei, só tenho pena de não conseguir ir lá com mais frequência (a carteira não permite :P)

      Eliminar