Portuguese Jewellery: só bons motivos para apostar no que é nosso


A convite da Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal fui conhecer alguns dos novos talentos nacionais ao nível do design de joalharia, sobretudo em prata, um dos materiais que mais me agrada.

O projeto #cracktheegg, que significa algo como'partir o ovo' ou 'sair da  casca', pretende dar a conhecer ao grande público o que de melhor se faz numa área de grande tradição no nosso país, mas pela mão de jovens designers que já dão cartas aquém e além fronteiras.

Sinceramente é impossível não ficar rendido à originalidade das peças e não louvar o trabalho dos seus jovens autores que mesmo em tempos de crise não cruzam os braços e dão largas à sua imaginação.

Mas mais do que palavras, neste caso não há nada melhor do que ver algumas das mais recentes criações de nove designers de joalharia e perceber um pouco as suas histórias e raízes.

Destaco a simplicidade fascinante e elegante da recém-criada Nuuk; a absorvente inspiração na simbiose entre cidade e natureza de Bruno da Rocha; as histórias de vida e de viagens de Patrícia Iglezia retratadas em peças únicas e que espelham estados de alma; o trabalhado original e com recurso a diferentes tonalidades da prata de Inês Telles; e a garra e a determinação da start-up Mater que com apenas oito meses nos brinda com o melhor da prata e do ouro sempre com um cunho português.

Impossível não salientar também as peças premiadas da jovem Joana Ribeiro que são inspiradas em elementos naturais como folhas, flores ou algas e pintadas à mão; as peças versáteis e que permitem diferentes combinações de cores de Ana João; a inspiração no natural e no orgânico da coleção pétalas do Minha Joia Atelier; e a simplicidade e trabalhado minucioso das peças fascinantes da Sopro Jewellery.

Só bons motivos para apostarmos no que de melhor se faz no nosso país, não?!




Share:

0 comentários