segunda-feira, 27 de junho de 2016

Está grávida e vai andar de avião? Este post é para si


Sabia que a partir dos sete meses de gravidez a maioria das companhias aéreas exige uma declaração médica que autorize a viagem de avião e que são as low-cost, como a Ryanair, a Vueling e a EasyJet, as que impõem mais restrições e rigor na hora de embarcar grávida?

De acordo com um estudo realizado pela eDreams, apenas a Air Berlin e a Air France permitem viajar até às 36 semanas de gestação sem a referida declaração médica, sendo que as restantes exigem-na logo a partir das 28 semanas. 

Já no último mês antes do parto há cinco companhias que não autorizam a viagem, mesmo que com declaração médica, e entre elas está a portuguesa TAP, a par das alemãs Air Berlin e Lufthansa e da British Airways e da Turkish Airways.

Quanto a viagens no pós-parto, sete dias é o período mais consensual e mínimo que a mãe e o bebé devem aguardar até voltar a voar, caso não tenha ocorrido intervenção cirúrgica, como é o caso de uma cesariana.

Recomendações para viajar grávida
1. Consultar sempre o médico antes de viajar;

2. Chegar ao aeroporto com algum tempo de antecedência para realizar os procedimentos de embarque de forma tranquila;

3. Identificar-se como “grávida” junto do pessoal da companhia aérea para que possam ajudar no embarque;

4. Utilizar meias de compressão a bordo do avião devido ao elevado risco de trombose;

5. Evitar refeições pesadas e bebidas com gás;

6. Beber muita água durante a viagem, já que o ambiente no avião é mais seco;

7. Apertar o cinto de segurança na zona pélvica, por baixo do abdómen;

8. Solicitar um lugar no corredor para poder ir à casa de banho com mais facilidade;

9. Em caso de gravidez múltipla, informar-se junto da companhia aérea quais os requisitos pois poderão variar.

Sem comentários:

Enviar um comentário