Ler cria rotinas, estreita laços e aumenta o vocabulário


Desde miúda que devoro livros. Mesmo antes de aprender a ler já decorava frases inteiras para fazer de conta que dominava a 'arte' da leitura. Lembro-me de ler 'Os Maias' para o meu irmão porque era obrigatório na escola dele, com o pormenor de eu ter menos quase dez anos que ele...

Para mim os livros sempre fizeram parte das rotinas, fosse para ler antes de ir dormir, para fazer um trabalho para a escola ou mesmo para 'viajar' aonde a minha idade ainda não me permitia ir. Por isso, desde que fui mãe senti que tinha de incutir a mesma paixão aos meus príncipes. O que perdi nas minhas leituras pessoais (porque o tempo é pouco) ganhei nas leituras coloridas e algumas meio inventadas que temos a três. 

Muitas vezes é a princesa que começa a 'ler', depois pede-me ajuda para continuar e no final já sou só eu que estou verdadeiramente atenta à história porque a Leonor já se precipitou para outro livro. O Pedro é o único que ainda não tem grande voto na matéria, então acaba por ser o ouvinte perfeito, isto quando não se farta e decide chorar.

Se não têm por hábito ler para os vossos príncipes, seja por falta de tempo ou de vontade, ou mesmo por terem zero gosto pela leitura, pensem que se o fizerem duas vezes por semana já estão a aumentar em 17% o vocabulário dos vossos filhos e em 27% a sua memória de trabalho. A conclusão é de um estudo da Universidade de Nova Iorque que acrescenta que a leitura frequente leva a uma estimulação fonológica, o que é importante para a alfabetização, e ainda contribui para reduzir o número de crianças com problemas de comportamento.

Além disso, ler para os filhos, por exemplo, na hora de dormir, cria rotinas que facilitam o momento de adormecer e estreita laços, aproximando os progenitores dos seus filhos.

Share:

0 comentários