Primeiro dia de trabalho e telefonema do pai a perguntar se... «podíamos trocar»


Hoje foi o grande dia. 

Acordei de madrugada com o baby Pedro irrequieto, mas depois lá consegui descansar qualquer coisa porque o papá se levantou mais cedo, foi para a sala com os 'pestinhas' e fez o primeiro round de fraldas e leite para a princesa. 

Cansaço e nervos à mistura, banhos para todos, arrumar a casa, almoçar mais cedo do que o habitual porque entrava às 13h e deixar tudo preparado para a sopa e para o leite do baby. 

Ainda não era meio dia e meia e já estávamos a arrancar para o trabalho da mamã. Sim, o regresso foi mais especial porque os príncipes me levaram e a meio o Pedro já dormia e ela já me pedia para deitar a cadeirinha. Pensei secretamente que o papá hoje ia ter imensa sorte e possivelmente até iria conseguir dormir uma sesta com os dois...

Infelizmente isso não aconteceu e teve uma daquelas tardes que eu tantas vezes tenho. No entanto, com a bagagem dos últimos meses eu já não cedo ao desespero tão rápido. Assim que entrou em casa, ele acordou. Ela lá descansou qualquer coisa, mas ele nada. Queria brincar e tanto brincou e chorou que lá veio o sono... o pai até esfregou as mãos a pensar nos minutos que ia dormir com o anjinho, mas enganou-se porque assim que o deitou, ela decidiu que já não queria descansar mais... e ele também mudou de ideias e despertou... 

Rabugento como se fosse lhe tivessem tirado o brinquedo preferido ligou-se e em modo de desabafo perguntou: «Podemos trocar?» Ri-me de forma cúmplice, ri-me como quem diz: «bem sei o que estás a sentir, acontece-me nove em cada dez vezes».

Tentei animá-lo e passado uma meia hora já me enviava uma foto da princesa a ajudar a dar a sopa ao mano. «Que amores...», pensei e senti aquele aperto no coração e umas saudades que não cabiam no peito, mas não cedi. Voltei os olhos para o ecrã e concentrei-me no trabalho... só assim se consegue seguir e ver as horas a passarem mais rápido.

Eram quase 18h liguei-lhes para me virem buscar e passado uns 15 minutos ouvia uma voz de princesa do outro lado a dizer: «mamã já tamos quase a chigar... podes discer». Que doçura!

Hoje foi rápido e 'quase' indolor. Consegui mesmo sentir saudades do trabalho e da rotina e senti-me parte daquele universo. Amanhã é que vai doer mais um bocadinho... é segunda, não há companhia para a viagem, a princesa vai para o colégio e o baby fica na avó... e eu sigo, sozinha...

Share:

0 comentários