domingo, 3 de julho de 2016

Quando demoramos mais tempo a arranjar os miúdos para ir à praia do que na própria praia...



Será que sou a única a sentir que perco mais tempo nos preparativos para ir para a praia do que a desfrutar do momento de estar propriamente na praia? Ainda hoje voltei a ter a prova viva de que ir para a praia com duas crianças tão pequenas é tão desgastante como apanhar trânsito numa segunda de manhã, trabalhar sem conseguir ir almoçar e ainda ter de ir ao supermercado em hora de ponta.  

Hoje fui sozinha com os miúdos para a praia porque o papá Rui ainda está meio adoentado, mas aqui a mamã achou que a princesa estava a precisar de aproveitar o sol e brincar na areia. Como os avós também estavam na praia, lá fomos nós. Depois de preparar a mochila para os três em contra-relógio para tentar chegar antes da hora de calor, de 20 minutos de carro, de pensar que era melhor estacionar mais perto da praia (pensamento de português) e perder um lugar maravilhoso em troca de mais 20 minutos à procura de lugar e acabar mais longe do que se tivesse logo ficado no primeiro lugar que era a 10 minutos da praia, e com a Leonor pela mão e o Pedro no carrinho, lá chegámos...

Fui levar a princesa ao pé dos avós, tirei-lhe o vestido, reforcei o protetor solar, apanhei-lhe o cabelo, coloquei-lhe o boné... e no final de preparar a água, a toalha, os crocs e tudo o resto à sombra do chapéu, disse-lhe que ia para o jardim com o mano porque estava imenso calor. Ui, o que fui eu dizer. Caiu o Carmo e a Trindade e instalou-se o caos. Já não queria ficar na praia e muito menos brincar, já só queria ir para o jardim com a mãe e o mano... com o pormenor de já estar cheia de areia, estilo croquete depois de pôr o protetor e rolar na areia. 

Tentei convencê-la em vão, expliquei-lhe que não ia a lado nenhum, só mesmo fugir do sol abrasador, mas nada a demovia (mais parecida comigo, impossível... teimosa). Acabei por ter de a levar. Chorou porque não a conseguia levar ao colo ao mesmo tempo que levava o carrinho do mano porque infelizmente ainda não tenho super poderes, chorou quando a coloquei debaixo do chuveiro só para tirar a areia da mãos e pés e quem acabou toda molhada fui eu e chorou a caminho do parque e do jardim... 

Nem sequer consegui olhar para o mar enquanto estive verdadeiramente na praia, mas sempre consegui almoçar a ver o mar... not bad! O regresso foi ainda mais quente, mas pelo menos mais silencioso, é que depois de tanta birra adormeceram que nem dois anjinhos...

Sem comentários:

Enviar um comentário