Esqueçam o multitasking


Quantas vez não pareço uma barata tonta a preparar o jantar enquanto tiro a loiça da máquina e ainda ponho a roupa a lavar? Ou então quando aproveito o momento em que estou a engomar ou a conduzir para despachar a lista de telefonemas? E aquelas vezes em que estou a pôr a mesa enquanto dou um olho no Pedro que está a brincar e ainda vou buscar o copo de água para a Leonor e de caminho levo uma fralda para o lixo? 

Chama-se multitasking e até há bem pouco tempo era quase uma qualidade intrínseca das mulheres, tida como uma característica exclusiva do sexo feminino e super habitual nas mães modernas e cosmopolitas. O problema é que parece que não é assim tão benéfica quanto se achava. 

Eu confesso que desde que fui mãe pela segunda vez senti que o multitasking se 'apoderou' de mim, das minhas rotinas, da minha vida, de cada passo que dou e até de cada vez que respiro. Parece que estou a falar de uma doença, mas a verdade é que já não consigo viver sem ser a fazer duas ou mais coisas ao mesmo tempo. Isto para não falar do cérebro que parece tentar acompanhar esta 'duplicidade'. Quase que sinto que tenho duas ou mais personalidades que trabalham ao mesmo tempo dentro da minha cabeça. Uma pensa nas tarefas da casa, enquanto outra está a planear as brincadeiras que vai ter com os miúdos, e uma terceira ainda está a preparar mentalmente os itens a abordar na reunião do trabalho...

E quando entro numa fase de multitasking mais intensa quase que pareço uma criança hiperativa que quer fazer tudo e não faz nada; que começa a desenhar porque é giro, mas que passado meio minuto se lembrou que afinal lhe apetece ver TV e de repente se calhar era melhor ir jogar à bola, não?! 

Este é um dos motivos pelo qual não funciona, o outro é porque nos deixa exaustas física e mentalmente e porque não nos permite concentrar apenas num assunto a 100% e com total dedicação.

E é aqui que entra uma nova filosofia de vida que parece ser bem mais.... slowwww. O movimento do slow living e do slow eating parece ter chegado para ficar e nos ensinar a viver cada aspeto da nossa vida de uma maneira mais intensa e mais apaixonante. 

E que tal pensarmos mais em 'Slow Down' em vez de Multi Task? 

Share:

0 comentários