Ter os filhos doentes é como tirarem-nos o chão e ainda colocarem-nos sob tortura do sono


Com a princesa com uma pneumonia e o baby Pedro super obstruído e com uma otite em fase inicial, a minha agenda do telemóvel não podia estar mais preenchida entre antibióticos, ben-u-rons e brufens, sopas e biberãos, a juntar a organização ou desorganização da casa e das refeições...

Agora uma noite normal cá em casa inclui a Leonor a levantar-se e a vir para a nossa cama porque não quer dormir sozinha; o Pedro a vomitar em jato, num raio mínimo de 2 metros, após beber o leite e tomar o antibiótico; tosse irritativa, daquela que parece k o pulmão vai saltar, de um ou do outro de 5 em 5 minutos; e muitos estratagemas da mãe para conseguir k tomem os dois os respectivos antibióticos e o Ben-u-Ron ou brufen, no caso da Leonor. E para tornar a noite mais animada nada melhor do k acrescentar um elemento essencial: uma mãe já com uma direta em cima... e com 9 longos meses muito mal dormidos.

Mas nada disso realmente interessa quando os vemos doentinhos e agarrados a nós a precisar de mimo e colo. O que realmente interessa é que eles recuperem e bem rápido... sim, porque na verdade não há nada melhor do que ver o Pedro a roubar os brinquedos da Leonor ou a puxar-lhe os cabelos, ou a princesa a fazer macacadas para o fazer rir... 

Share:

0 comentários