Primeira resolução de 2017: ser mais paciente!


Não pretendo ser a melhor mãe do mundo, somente aquela que os meus filhos precisam de ter para serem felizes, mas nem sempre é fácil encontrar as respostas que eles me pedem e muito menos perceber quais as mais adequadas. E há momentos em que a paciência entra em rotura de stock...

Ser mãe exige muito, às vezes tanto. De nós, do nosso ser e da nossa paciência. E mudar é tantas ou mais vezes obrigatório. 

Por mais que os amemos, por mais que lhes queiramos bem e por mais que os queiramos sempre junto a nós, a verdade é que por vezes sentimos que também precisamos de uns minutos só nossos. 

Faz falta respirar fundo, olhar para o nada, fazer balanços e colocar diferentes opções na balança. Faz falta encontrar respostas em nós, sentir-nos realizadas e fazer novas reservas de paciência. Faz falta fazer um detox à alma e olhar para o novo ano de outra perspetiva, de outro ângulo. 

A paciência, ou a falta dela, é provavelmente o meu maior defeito nesta árdua tarefa que é ser mãe. Quantas vezes preciso de respirar fundo e contar até 10? Quantas e quantas vezes não penso em voz baixa e acabo por verbalizar em voz demasiado alta e só quando vejo a princesa meio apreensiva perguntar-me se estou chateada, é que percebo que se calhar usei o volume acima e o tom ao lado... Quantas vezes não gostava de ser como outras mães que não gritam, não dizem asneiras mentalmente e agem sempre com a maior paciência e carinho do mundo... 

Mas infelizmente não posso ser quem não sou, posso ser um bocadinho melhor e um bocadinho mais calma e lutar diariamente para conseguir inspirar e expirar duas ou três vezes antes de tomar decisões bruscas e repentinas. E essa é a minha resolução para este ano: ser mais paciente, porque saber esperar é mesmo uma virtude.

Share:

0 comentários