O desespero da [interminável] mudança


Sempre que digo que estou em mudanças dizem-me: «que corajosa, com duas crianças tão pequenas...» Sim, coragem não me falta, mas entre emprego, encaixotar, destralhar, desembalar, limpar, organizar e ainda dar uns mimos aos príncipes, acho que a maior coragem nem tem sido assim tão minha. 

O papá sim, tem sido um verdadeiro herói das mudanças. E os avós e os tios têm dado a ajuda extra essencial para conseguirmos ter sempre alguém a brincar e a cuidar dos príncipes e ainda a apoiar toda a questão logística de carregar e descarregar a nossa vida em contra relógio. 

Sempre soube que ia ser difícil, mas nunca imaginei que fosse tanto. Cansaço é o nosso novo nome do meio e sinceramente não sei quantas semanas vou levar até conseguir realmente pôr a casa nova como deve de ser... isto depois de terminarmos de facto a mudança. É que mesmo cinco dias após o início do processo, ainda há muita louça para embalar, candeeiros e prateleiras para tirar e sacos para transportar. 

Se conseguirmos terminar essa parte do processo hoje e conseguirmos dormir lá, acho que abro uma garrafa de champanhe para celebrar... Isto se a encontrar ahahah. Sim porque no meio deste processo já conseguimos perder a pílula da mãe, o biberão da princesa Leonor e o carregador de telemóvel do pai... 

Para os próximos episódios, é rezar para conseguirmos ter net e TV cedo... 


Share:

0 comentários