Não há filhos de segunda, mas há menos tempo



Este post é para as mamãs e papás de dois ou mais filhos e acredito que no final vão concordar com mais de metade dos seguintes pontos, se não, acho que são uma super heróis disfarçados. Ahahaha

1 - Choros vs. birras
Quando o primeiro filho chora vamos logo a correr ver o que se passa. Será a fralda, terá frio, calor, se calhar é fome, ou terá febre, podem ser os dentes, ou se calhar apanhou uma virose qualquer... equacionamos ligar ao pediatra, quem sabe passar nas urgências ou no centro de saúde, é que entretanto achamos que também está com uma borbulhinhas estranhas ou até umas manchas...

Quando é o segundo ou terceiro espreitamos a fralda, damos água ou leite. Nada... então deve ser só birra...

2 -  Quedas e hematomas
Quando o primeiro filho cai vamos logo a correr. Pomos gelo, tentamos perceber onde bateu, se tem hematoma, colocamos arnidol, avaliamos com calma se tem mais alguma coisa, se chora muito, se é melhor ir ao médico e acabamos a ligar ao pediatra. Nunca se sabe, pode ser grave.

Com os filhos a seguir tentamos perceber se incha e até colocamos gelo, mas durante uns dois minutos que deve ser suficiente... depois vamos brincar e tentamos desvalorizar.

3 - Amamentação 
Quando o primeiro filho bebe leite ou é amamentado, normalmente há "regras" e horários bastante rígidos. Temos de dar primeiro de uma mama e depois da outra, não pode ficar mais de 2h30/3h sem mamar e muitas vezes acordamo-lo de propósito porque pode ter fome.

No segundo, damos-lhe leite até ele querer. Nunca o acordamos para dar de mamar porque se ele quisesse acordava, certo? 

4 - Roupa, enxoval e afins
Ainda antes do primeiro baby nascer já há todo um enxoval feito... meses antes do grande dia, há bodies e fraldas para três crianças, mala da maternidade preparada desde os cinco meses de gestação, babetes bordados com o nome do rebento, berço encomendado, baby shower organizado, roupa repetida, biberões com tetinas anticólicas, bomba extratora de leite e até colcha a condizer com a pintura ou os autocolantes das paredes.

Quando chega a hora do nascimento do segundo ou do terceiro filho, a mala de maternidade é feita um dia antes ou é o pai que depois leva (esquecendo-se da maioria das coisas importantes, como por exemplo as fraldas), metade do enxoval é herdado do mano(a) mais velho(a), assim como o berço, a colcha e os babetes. E os biberões logo se vê se são precisos (pode ser que mame até tarde).   

5 - Fotos e molduras (ou a falta delas)
Quantas molduras lá de casa têm fotos do primeiro filho? Todas ou quase todas. E as que não têm do baby, têm da produção fotográfica feita ainda durante a gravidez ou do baby shower. Há o pé ou a mão feitos em gesso e até a barriga da mamã também em gesso, pintada ou adaptada para um candeeiro ou outra coisa qualquer artística. Há vídeos das ecografias, dos primeiros passos, das primeiras palavras. Há livro/diário com todos os seus grandes feitos registados, desde o primeiro dente até à primeira festa da escola e os papás gastam balúrdios na revelação de fotos. 

Como acham que é nos seguintes? A criança já tem um ano e ainda não revelámos uma única foto. As molduras continuam a mostrar apenas um filho e uma gravidez. E no meio do processo adiámos a barriga de gesso e depois já não deu para fazer. Não há álbum até porque não há fotos, nem mão ou pé de gesso e os vídeos das ecografias devem estar numa gaveta junto dos papéis da maternidade e de um ou outro post it com a data do primeiro dente e da primeira palavra. 

6 - Amor (a dobrar ou a triplicar)
Este é dos poucos pontos em que acho que não há diferenças. O amor realmente multiplica-se e se no início podemos ter receio de não conseguir amar tanto o segundo ou o terceiro como o primeiro, a verdade é que passados uns dias, semanas ou meses, o amor é igual. Podem haver empatias e cumplicidades diferentes, até porque as nossas personalidades (e as deles) são diferentes, mas o amor, esse é exatamente na mesma proporção. 

Share:

0 comentários