«Mamã podemos voltar para a casa antiga?»


Em março, mudámos de casa. Precisávamos de mais espaço há algum tempo e o nascimento do baby Pedro tornou a esta decisão mais urgente. Depois de uma procura em contra-relógio, até porque vendemos antes de encontrar uma alternativa, lá acabámos por nos decidir por um T3 bem mais espaçoso do que o nosso antigo T2 e mais perto do colégio dos príncipes. Os únicos contras eram possivelmente o facto de ser um 2º andar sem elevador e o não ter uma varanda, nem terraço onde os príncipes pudessem brincar e onde pudéssemos almoçar ou jantar no Verão, que era uma coisa que tínhamos na casa anterior. 

Tirando esses dois "pormenores", a casa nova parecia ter tudo para dar certo. Além de ter um cozinha espaçosa onde conseguimos jantar todos - coisa que não fazíamos desde o nascimento da Leonor há quatro anos -, todas as divisões têm áreas mais generosas do que a anterior, sobretudo o quarto da princesa onde ela consegue ter os brinquedos todos e ainda espaço para brincar. Este é aliás o lugar da casa onde os dois passam mais tempo, entre jogos, cozinha, casa de bonecas, livros, secretária...

No início, a princesa chegou a dizer que tinha saudades da casa antiga. Óbvio que entendi porque até eu fiquei um bocadinho nostálgica com a mudança, mas acabei por lhe explicar que aqui tinha mais espaço para brincar, que o mano já tinha um quarto só para ele e que agora podíamos comer todos juntos na cozinha e brincar por lá enquanto a mamã cozinha. 

Acabou por me dar razão em algumas coisas, mas percebi logo que não estava totalmente convencida. E agora, quase meio ano depois da mudança, ela voltou a ficar com dúvidas... já por várias vezes me lembrou que antes tínhamos elevador e que agora são muitas escadas; que gostava muito da casa antiga e que tem saudades; que o quarto era mais pequenino e fofinho; e que o parque e o jardim eram mesmo em frente de casa...

Tentei voltar aos argumentos do costume, lembrei-a que agora havia um quarto para cada um, ao que ela me respondeu que adorava dormir no mesmo quarto que o mano; disse-lhe que assim podia ter os brinquedos todos à vista e mais espaço para brincar, mas nem isso a convenceu. «Mamã não preciso de tantos brinquedos... e podíamos guardar alguns» :O; acrescentei que agora podíamos ter televisão na cozinha. Mais uma coisa que ela me garantiu que dispensava e acrescentou que adorava almoçar e jantar na sala e não na cozinha como agora fazemos...

Quando fiquei sem argumentos, ela exclamou que tinha a solução: «Mamã podíamos voltar para a casa antiga! Pedíamos ao senhor para sair de lá e ele vinha morar para aqui...»

Share:

0 comentários