Aquele momento em que os miúdos nos tiram do sério


Ontem, excepcionalmente, os avós foram buscar os príncipes ao colégio para jantarem lá em casa. Foi assim combinado meio em cima do joelho, mas confesso que fiquei deslumbrada com a ideia de poder ir para casa tranquila, sem ter de os ir buscar e fazer o jantar a correr como é rotina. Acabei por ir buscar um sushi para dois, jantámos com calma, sem o stress de apanhar a comida que o baby Pedro deixa cair (ou manda) para o chão, sem estar sempre a avisar a Leonor que tem de comer antes que fique frio, sem estar a parar de comer a cada 5 segundos para ir buscar água, para descascar a fruta ou simplesmente para os ajudar a comer. No final, eu e o papá estávamos encantados com a decisão, até chegámos a dizer que podíamos começar a fazer isto de vez enquando porque ficávamos com um bocadinho de tempo para os dois e para organizar as coisas em casa. Sinceramente, pareceu-me maravilhoso. «Como nunca tinha pensado nisto antes?»

Mas como tudo na vida, esta solução acabou por não se mostrar assim tão maravilhosa. Chegámos a casa dos avós antes das 21H e estavam os dois super felizes. Tinham jantado lindamente, estavam a portar-se super bem e satisfeitos com o facto de estarem a brincar com os avós. O problema foi quando lhes dissemos que íamos embora. A Leonor queria ficar mais tempo e o Pedro por imitação também. Entre a birra (imagino que de cansaço, sono e excitação), o não se querer calçar, o não querer colocar o casaco, o responder a tudo que não e inclusive o levantar a mão para nos "bater" porque não queria ir embora.... ficámos assim meio desesperados. Acho que estes são aqueles momentos em que gostávamos de ter a fórmula mágica para parar aquele comportamento e ainda prevenir futuras situações. 

Mas o que se diz? O que se faz? Ralha-se? Sobe-se o tom de voz? Ou tentamos que se acalme e só depois falamos e explicamos que agiu mal? 

Tentámos tudo, mas a verdade é que não valeu de nada porque foi o caminho todo até casa a chorar e a chamar pela avó... quando chegámos continuou a chorar, até que a consegui acalmar, dei-lhe o leite, o papá vestiu-lhe o pijama, ela pediu desculpa e acabou por adormecer mais tranquila... hoje de manhã foi como se nada tivesse acontecido. Mas já jurámos que durante uns tempos não há idas à noite a casa dos avós durante a semana ahahah só para prevenir!!!

Share:

0 comentários