Pais e filhos e o dilema dos timings diferentes


Quanto tempo levam a almoçar? 5, 10, 15 minutos? 

E vestirem-se? Se estiverem em contra-relógio imagino que 5 minutos sejam suficientes, caso contrário distraem-se e acabam a chegar atrasados ao trabalho, certo? 

E a irem às compras? Acaba por nunca levar propriamente os 15 minutos estipulados mentalmente, certo? Entre compras extra, confirmar as datas de validade e ir para a fila no momento em que já lá estão mais 10 pessoas porque até parece que todos o decidiram fazer ao mesmo tempo... 

Sim, temos timings diferentes para diferentes tarefas, mas também para diferentes estados de espírito e muitas vezes estes também dependem de obstáculos e imprevistos que se cruzam e que nos atrasam. 

O mesmo acontece com os miúdos, mas por vezes os pais esquecem-se disso. 
Já imaginou dizer ao seu filho "vamos vestir-nos rápido" no momento em que começou a dar um episódio da Lady Bug ou dos PJ Masks? 
Ou então exigir que ele se despache com o pequeno-almoço quando em cima da mesa estão as plasticinas e ele adora trabalhos manuais? 

Ou mesmo pedir para o jantar ser mais rápido quando o que a ele lhe apetecia era tudo menos a posta de pescada com legumes cozidos ao vapor... até porque os pais deixaram - sem querer - os pacotes das batatas fritas em cima da mesa...

Este é daqueles dilemas que nunca nos vai deixar em paz. 

Sinceramente duvido que haja uma fase na vida de um pai e de um filho em que os timings sejam exatamente iguais, até porque mais tarde a situação inverte-se. 
Sim, hoje somos nós que pedimos/exigimos rotinas mais céleres aos nossos filhos; mas no futuro - longínquo, espero - será precisamente o oposto.
Vão ser os nossos filhos que não vão ter tempo para nós, que vão pedir para sairmos mais rápido do carro, ou para lermos mais rápido o recado que deixaram ou até para fazermos as compras do supermercado em 10 minutos em vez da hora que já costumamos levar...

Da próxima vez que estiverem com pressa para que os miúdos jantem rápido, perguntem-se só uma coisa mentalmente: «estou com pressa para quê?» - se calhar em metade das vezes, a verdade é que nem têm nada de tão urgente... 
Será que levantar a mesa, tirar a roupa da máquina ou engomar não pode esperar 10 minutos? Estes podem ser 10 minutos de qualidade com os vossos filhos e em família. Think about it!


Share:

0 comentários