Isto é amor, só pode ser amor


Esta imagem apanhou um dos muitos momentos de carinho e cumplicidade entre o baby Pedro e a princesa Leonor, mas não julguem que é raro. Estes dois têm uma relação tão especial que até nós enquanto pais não conseguimos explicar. 

É verdade que desde que fiquei grávida que nos esforçámos para que a Leonor não se sentisse posta de parte. Tentámos que estivesse presente em todos os momentos desde o dia em que lhe dissemos que ia ter um irmão e lutámos para que não se ressentisse muito do meu "afastamento" físico quer na altura do parto, quer na altura da amamentação. 

Mesmo assim, e depois da fase eufórica da chegada do baby Pedro lá a casa, ela teve alguns ciúmes... mas nada que não estivéssemos à espera, até porque seria estranho se assim não fosse. 

No entanto, a verdade é que passadas umas semanas, ela - e também nós - rendeu-se aquele ser pequenino, patusco, moreno e irrequieto que entrou nas nossas vidas para mudar basicamente tudo. 

Há uma ligação tão forte e tão preocupada entre eles que até nós ficamos surpreendidos. 

Quantas vezes dou um iogurte ao Pedro e ele pede de imediato um para a irmã; quantas vezes é ela que nos diz «vejam o Pedro que eu tenho de ir à casa de banho» - quase como se fosse ela a mãe/pai; e mesmo quando um está doente ou acaba por sair mais cedo do colégio e não regressam juntos a casa, é impossível não perguntarem de imediato pelo outro. Ainda esta semana, ela me confidenciava quando estávamos a chegar a casa: «espero que o Pedro não esteja a dormir porque eu quero vê-lo... será que ainda tem febre mamã?...»

Claro que também há brigas. É óbvio que se chateiam, que correm um atrás do outro, que sem querer se magoam (mais ele a ela porque é mais bruto) e até há momentos em que preferem brincar sozinhos (sobretudo ela que gosta de desenhar sem o ter a roubar as canetas ou a riscar as árvores e os corações que desenha).

Mas o que me deixa sempre perplexa é isto que se vê na foto de cima. Não há imagens encenadas entre eles, é genuíno, é puro, é natural.

A única coisa que espero é que isso nunca mude porque de facto um irmão é o melhor amigo que se pode pedir.  




Share:

1 comentários

  1. O amor entre irmaos e' de nos encher o coracao.
    Ainda agora, olhava para a minha filhota e para a mana dela, as duas a brincar como se nao houvesse um oceano a separa-las ou diferenca de idades (12 anos). A mais pequena idolatra a mais velha e fez questao de nos "roubar" uma fotografia da mana para levar para o quarto dela para lhe poder dizer todos os dias boa noite antes de ir para a cama e dar um beijinho.
    A mais velha de telefone na mao tira 1500 fotografias cada vez que estao juntas, deixa-se maquilhar e exibe com orgulho as obras artisticas da mana Picasso.
    E' tao magico!
    So desejo que aquilo que as une dure para a vida toda e o mesmo desejo para os teus.
    Um grande beijinho.
    Pat

    ResponderEliminar