Sim vou casar e sim dá uma grande trabalheira


Decidir casar com 3 meses de antecedência é tudo menos tranquilo. 

Sim, eu sabia que ia dar trabalho, mas nunca imaginei que desse tanto. 

Há 6 anos casámos pelo registo e celebrámos o grande dia com uma festa pequena em casa; este ano decidimos casar pela Igreja na mesma cerimónia do batizado do baby Pedro, mas como já vai sendo habitual decidimos tudo em cima do joelho.  

Entre fazer lista de convidados e tratar de convites, selecionar a  data, escolher Igreja, quinta, decoração de mesas, tema para a festa, DJ, brindes para os convidados adultos e crianças, fotógrafa (esta foi uma escolha fácil: Inês Lamego, sempre) e ainda o vestido de noiva... uffa tem sido um processo cansativo e desgastante. 

Hoje partilho com vocês a experiência maravilhosa de escolher o vestido de noiva. Apesar do cansaço, a verdade é que é um momento super especial e único. Durante umas horas senti-me uma verdadeira princesa. Ainda não escolhi o eleito, mas já tenho um top 3 e uma loja para vos sugerir. 

Visitei a Ais D'Amor por recomendação de uma amiga e não me desiludi com nada, nem nas opções, nem nos preços. Infelizmente os vestidos não são propriamente baratos, mas consegui experimentar alguns que ficavam dentro do budget que tinha em mente e isso é super importante. Não vale a pena iludirmo-nos com opções que depois não conseguimos concretizar.  

Além das opções para a noiva, este espaço - localizado em São Pedro de Penaferrim, a caminho do Sintra - também tem um sem número de vestidos para as convidadas o que acaba por funcionar com um dois em um. 

Se vão casar e são da zona de Lisboa, acrescentem a Ais D'Amor à vossa lista de lojas de noiva a visitar e espreitem o site Casamentos.pt que acaba por funcionar como um diretório com contactos e opiniões de todo o tipo de serviços que vão precisar.

Obrigada Ana pela paciência e pelo carinho! 









FOTOS | INÊS LAMEGO 

Share:

0 comentários