Parece que temos um miúdo intolerante à palavra «não»


Por aí já começaram as reuniões do colégio de final de ano?
A do baby Pedro foi hoje. Conclusão: temos um menino 5 estrelas, que adora ouvir e contar histórias, muito curioso e explorador, que já fala bastante bem para a idade e nada "abébezado", com muita destreza e que adora jogar à bola... ou seja, tudo o que qualquer pai ou mãe adora/sonha ouvir.
Mas como não há Bela sem senão, há um "mas": ainda não sabe bem lidar com a frustração e é intolerante à palavra "não".
Por exemplo, quando é colocado de castigo por algum motivo, ele fica amuado e quando sai do castigo, em vez de ir brincar e "esquecer" o assunto, vai direto ao amiguinho que ele acha que foi responsável pelo castigo e pede satisfações... (leia-se: levanta-lhe a mão)
Segundo a educadora, temos de ser mais firmes no "não", não nos deixarmos influenciar pelas birras que faz quando recusamos aceder aos seus pedidos e mais tarde explicar-lhe, com calma, o porquê de ter ficado de castigo ou de termos dito "não"...
É verdade que no dia-a-dia já o tentamos fazer, mas também é verdade que por vezes estamos cansados ou distraídos e acabamos por ceder à 2ª ou 3ª birra.
Dou um exemplo simples. Ele quer comer um gelado, nós dizemos que não (às vezes nem que seja por instinto ou porque estamos quase a ir jantar), ele chora, pede muito... e nós acabamos por ceder. Resumindo, ou dizemos logo que sim que pode comer; ou se é não, é mesmo não.

Share:

0 comentários