As dúvidas têm um lado bom: fazem-nos refletir sobre as escolhas que fizemos e aquelas que temos de fazer



As dúvidas fazem parte da nossa vida e são positivas porque nos "obrigam" a refletir sobre as nossas escolhas, as que fizemos e as que temos de fazer.

Nos últimos meses há uma dúvida que me tem dado muito em que pensar: será que ainda faz sentido ter o blog?

Há dias em que de facto me apetece escrever e partilhar fotos e aventuras dos miúdos; mas há outros em que tenho zero vontade de abrir as redes sociais, em que sinto que não tenho nada para vos dizer, e há até momentos em que me sinto "obrigada" a fazê-lo e nem sei bem porquê.

De um lado da balança há o meu amor pela escrita e pelos meus filhos, uma vontade enorme de partilhar as aventuras da maternidade e em que tenho a certeza de que se não tivesse o blog teria de arranjar urgentemente outro sítio para o fazer; do outro lado há o tempo que perco a fazê-lo e que podia aproveitar para estar com os meus filhos que a cada dia que passa precisam mais de nos ter a seu lado a 100%.

Já não são bebés de colo, é verdade, mas hoje mais do que ontem precisam de nos sentir a seu lado, seja para ler uma história, fazer construções de LEGO, desenhar, ir ao parque, à praia ou à piscina… mas de preferência sem estarmos sempre agarrados ao telemóvel… (e isso é algo que sinto que tenho de mudar urgentemente). 

No outro dia li sobre o que os filhos acham dos pais/mães terem um blog. E isso ainda me fez pensar mais no assunto.

O baby Pedro como é óbvio não sabe sequer o que é um blog, quanto mais que a mamã tem um; já a princesa Leonor tem uma perceção diferente e sabe que existe um blog, mas em relação ao que isso significa na vida dela, possivelmente a resposta mais simples seria receber presentes com mais regularidade do que as outras crianças. E essa resposta deixa-me ainda mais preocupada porque eu nunca quis que ela achasse que tinha tudo de mão beijada. 


Eu sou do tempo em dávamos valor aos brinquedos que recebíamos e isto da geração do "pede-dá" faz-me alguma confusão porque parece que estamos a criar miúdos mimados que dão pouco valor ao que têm e que acabam por não brincar com um terço do que recebem.


Resumindo: adoro escrever aqui e sentir que partilho informações e experiência que podem ser importantes para as outras mães, mas não adoro assim tanto sentir que ele me tira tempo de qualidade com os meus príncipes.

Share:

0 comentários