Ainda se lembram quando tinham de esperar um mês para verem as fotos que tiravam?


Eu ainda sou do tempo em que não dava para pré-visualizar fotos na máquina, muito menos para editá-las, mudar a cor, dar mais luminosidade e nem sonhar com filtros que nos tiravam 10 anos e 5kg. 

Ainda sou do tempo em que revelar fotos só no final de gastar o rolo de 36, mas que às vezes trazia umas fotos bónus. E não havia cá essa coisa de tirar fotos só porque sim, era preciso uma boa justificação: um aniversário, um jantar de família, um dia na praia ou um piquenique com os amigos. 

E para vermos o resultado normalmente era preciso esperar. Esperávamos tanto tempo que muitas vezes já nem sabíamos bem o que estava no rolo e normalmente ficámos sempre surpreendidos com o resultado. Umas vezes ficámos tristes porque a foto ficava muito escura ou a cabeça cortada - normalmente isso acontecia quando o meu pai era o responsável pelo disparo - ou ficávamos felizes quando tínhamos conseguido ficar todos bem, sem olhos fechados ou sorrisos amarelos. 

E para onde íam as fotos? Logo diretamente para aquele álbum grande que guardávamos religiosamente na estante do quarto e que tinha desde a nossa primeira foto ainda em bebé até às fotos com os amigos da escola ou do casamento do primo afastado ou das férias de Verão com a família toda. 

Normalmente não precisávamos de muitos álbuns, até porque revelar as fotografias era um pouco dispendioso e o orçamento nem sempre esticava para bens não essenciais.

Hoje, é tudo digital. Também não revelamos fotos muitas vezes, se bem que quando o fazemos revelamos logo 200 porque andámos a acumular imagens no iPhone, na máquina e no tablet. E antes de o fazermos perdemos um bom par de horas (ou mais) a selecioná-las e a editá-las com todas aquelas aplicações que andámos a descarregar. 

Eu confesso que adoro fotos em formato tradicional e adoro ter pedacinhos da minha vida espalhados por molduras pela casa. No entanto, também sou daquelas que guarda mais de 10 mil fotos no iPhone e que só revela de tempos a tempos... 

Share:

8 comentários

  1. Eu aventurei-me agora a repescar a minha analógica precisamente para resgatar essa magia do mistério - mas sim, tudo com conta e medida, que revelar fica caro! :)

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já nem sei onde anda a minha máquina analógica... mas acho que um dia destes faço o mesmo, mas só um rolinho porque realmente revelar fotos ainda fica caro ;)
      Btw, gostei imenso do blogue, já a seguir :)
      Um beijinho e bom fim de semana

      Eliminar
  2. Não vivi assim tanto quanto isso a era das analógicas, mas fascina-me imenso, lembro de quando era mais nova virem para casa aquelas caixas com as fotos reveladas e o rolo, era sempre giro ver o que de lá vinha! kiss^^

    Patsilvarte : blog | youtube

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa era a melhor parte, a parte da surpresa. Era sempre um momento giro, em família, todos a passar as fotos e a tentar não colocar os dedos para que não ficassem "manchadas". Mas óbvio que hoje é ótimo podermos editar as images e só revelar aquelas que de facto ficaram bem ;)

      Um beijinho e bom fim de semana

      Eliminar
  3. Não me lembro por acaso!! Mas acho que era outra ânsia de ver...

    Novo post: https://abpmartinsdreamwithme.blogspot.pt/2018/02/haul-what-i-got-on-valentines-day.html

    Beijinhos ♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim... estávamos sempre em pulgas para abrir o envelope quando chegávamos à loja, mas nem sempre ficavam bem... :/

      Hoje, felizmente não precisamos de passar por esse stress e podemos fazer "magia" com a arte final :)

      Um beijinho ♥ e boa semana querida

      Eliminar
  4. e quando o rolo tinha queimado e as fotos saiam meias pretas

    rrrrrrr

    ainda bem que as coisas mudaram ahahahah

    Mimi in the Mirror

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse era o pior resultado :( era o suficiente para nos estragar o dia... ainda bem que as coisas mudaram.

      Um beijinho e boa semana ♥

      Eliminar