Aquele momento em que o teu filho cai de cabeça do sofá e tu gelas


Ontem podia ter sido mais um serão normal em família: com o baby Pedro na sua linha de explorador e a princesa Leonor no papel de "big sister", sempre preocupada e atenta ao mano. 

Na verdade, até tinha tudo para ser uma noite mais tranquila do que o habitual porque decidimos ver um filme em família. 

Só que ser mãe é tudo menos "habitual" ou "tradicional" e os imprevistos são mesmo o nosso nome do meio. 

No meio da sessão de cinema decidiram empoleirar-se nas costas do sofá - mesmo depois da mãe e do pai repetirem vezes sem conta que é perigoso, que podem cair, que se podem magoar.... Resultado: o Pedro caiu das costas do sofá, de cabeça, diretamente no chão. Gelei, tremi, temi, descongelei e aconcheguei-o no colo entre lágrimas, sobretudo dele, para não o assustar com as minhas, e comecei de forma "automática" a fazer-lhe perguntas: se mexia as mãos e os pés, se conseguia movimentar os dedos, onde lhe doía, se andava, se levantava os braços, se estava dorido nas costas, no pescoço... enfim tudo... quando parou de chorar e já com gelo na cabeça e o hematoma a diminuir... acabou por ficar em modo "quero dormir". 

Apesar de não ter vomitado, como toda a gente diz que os miúdos não devem/podem dormir após um traumatismo e estávamos com receio que a sonolência fosse da queda e não do cansaço do dia de brincadeira na praia, acabámos por ligar para a linha de Saúde 24. 

Como sempre, foram super prestáveis e acabaram a recomendar uma ida às urgências, só mesmo para prevenir e para que nos explicassem - novamente - quais os sintomas a que tínhamos de estar atentos...

Até ver está tudo bem e é só um galo, mas a verdade é que passámos a noite a acordar de hora a hora para ver se estava tudo bem. Acordou tranquilo, na verdade, foi como se nada tivesse acontecido. 

Para futuro, espero mesmo que tenha aprendido que pendurar-se no sofá ou debruçar-se é de facto perigoso...

Nós, enquanto pais, acabamos por nos sentir "culpados", mesmo sabendo que são coisas que acontecem e que nem sempre estão nas nossas mãos, sobretudo quando temos miúdos mais curiosos e aventureiros ;)

Share:

0 comentários